Omulu

Sob o codinome OMULU, o produtor carioca Antmaper foi saudado pela crítica como uma das principais novidades da cena do global bass no Brasil após chamar atenção de artistas como Diplo, Djemba Djemba, Gaby Amarantos e Calvin Harris. 

Durante todo ano, tem recebido destaque em selos musicais e sites especializados como Mad Decent, do produtor Diplo (EUA), Enchufada, do Buraka Sound Sistema (Portugal), Man Recordings, do produtor alemão Daniel Haaksman, e Generation Bass (UK). Na sequência, lançou tracks em parceria com Lucas Santanna, Comrade (NY) e emplacou faixas nas coletâneas Hy Brazil, de Chico Dub e Kafundó, do selo Dutty Artz, de Maga Bo. Algumas de suas faixas já bateram a marca de 500 mil plays no Youtube e trezentos mil plays no Soundcloud.

O reconhecimento rendeu convites para assinar a trilha do desfile da Coca-Cola Clothing no Fashion Rio e a participação no evento 89 Plus, do MoMa (NY), realizado no MAM-RJ, a convite do artista multimídia Arto Lindsay.

O Som

A principal pegada do seu trabalho é a renovação de ritmos nacionais, do funk ao tecnobrega, passando pelos toques de atabaque do candomblé e mesclando com batidas eletrônicas das cenas ao redor do mundo. 

Durante estes experimentos, nasceu o brega bass, termo cunhado por ele para definir a mescla do tecnobrega com samples e beats mais graves. Seu mashup Diplo Piranha conquistou o público da Águia de Fogo, maior aparelhagem de Belém do Pará, comandada pelos DJs Elison e Juninho.

Recentemente, OMULU tem se dedicado à ”rasteirinha”, nova onda do funk carioca, que combina batidas mais lentas, na casa dos 95bpm, e elementos do axé e do reggaeton. Sua música PATRÃO foi descrita como “sensacional” pelo antropólogo e pesquisador musical, Hermano Vianna. A mais conhecida é “Bagulho Doido”, produzida ao lado do novaiorquino Comrade, e que projetou o estilo, internacionalmente, com direito a inserções na BBC.


Share

You might also like

0:00
00:00